Regional Nordeste



A Rede de Recursos Genéticos Vegetais do Nordeste (RGV-NE) foi originada da Rede de Recursos Genéticos Vegetais da Bahia (RGV Bahia) que foi concebida em 2005, como resultado de uma discussão com professores, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação do Estado da Bahia, sob a liderança do professor Roberto Lisboa Romão, da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS-BA). Naquela ocasião foi idealizado o I Workshop de Recursos Genéticos Vegetais da Bahia, realizado na Fundação Luiz Eduardo Magalhães, em Salvador-BA e foram realizados mais três eventos em diferentes Universidades do estado da Bahia e no ano de 2011, no evento da RGV-Bahia, realizado na Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em Juazeiro-BA, foi aprovada a ampliação da jurisdição da Rede para atuar em todo o Nordeste brasileiro, transformando-se em Rede de Recursos Genéticos Vegetais do Nordeste (RGV-NE) que já realizou dois Eventos, sendo o primeiro em Cruz das Almas-BA em 2013 e o segundo em Fortaleza-CE em novembro de 2015.

Durante os Simpósios foi estabelecida uma grande discussão com professores e pesquisadores de diferentes Unidades da Embrapa, das instituições de pesquisa dos Estados e das Universidades Estaduais e Federais da região e, assim, um grupo de professores, pesquisadores e alunos estão participando das discussões e, sobretudo, foi possível se contar com pesquisadores pioneiros do estudo dos Recursos Genéticos da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia em diferentes Simpósios e, dessas discussões se consolidou a ideia que a Rede de Recursos Genéticos do Nordeste seria uma complementação ao trabalho da Embrapa por apresentar maior capilaridade, chegando às bases. Essa compreensão se aprofundou e hoje com a consolidação da Sociedade Brasileira de Recursos Genéticos (SBRG) é muito provável que um modelo de Redes Regionais possa se estabelecer no Brasil e se tornar um sistema nacional muito forte que poderá representar um marco muito importante nos estudos dos recursos genéticos brasileiros. A contribuição da SBRG para a execução dos Simpósios da RGV Nordeste está tendo um crescimento substancial.

O principal produto da Rede é a realização de um Simpósio bienal um produto que vem consistentemente sendo realizado desde a fase inicial como RVG-Bahia. É esperado que cada vez mais integrantes de instituições da região Nordeste possam participar. Um segundo produto da Rede é a mobilidade estudantil, já começando a ser sentida com a participação de diferentes alunos em diferentes laboratórios para melhorar a qualidade de seus trabalhos de dissertações e teses, uma ação que se espera tende a aumentar consideravelmente. Também, outro produto, que está sendo vislumbrado é a participação de grupo de pesquisadores, professores e estudantes de pós-graduação, principalmente, em editais e, assim, se possa aumentar a competitividade de participação em projetos de pesquisa e, dessa forma, possa melhorar a qualidade das pesquisas realizadas e, como consequência seja possível veicular artigos em revistas de melhor impacto e, ao mesmo tempo, relatar fatos relevantes sobre as plantas dos principais biomas que ocorrem no Nordeste brasileiro e, ao mesmo tempo, também se possa estudar a agrobiodiversidade existente na região que é muito expressiva e contem germoplasma de grande valia para a busca de genes uteis para o desenvolvimento agropecuário da Região seja nos sistemas de produção dependentes de chuva seja em sistemas de produção irrigados.

Manoel Abilio de Queiróz, Presidente, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Semiramis Rabelo Ramalho Ramos, Vice-Presidente, Embrapa Tabuleiros Costeiros


Acesse o link abaixo e leia o artigo do Dr. Manoel Abílio sobre a Regional Nordeste para a Revista RG News Vol.2 N°1 - 2016

Arquivos